Monthly Archives: Maio 2009

O menino que queria ser capitão

Padrão

chapeu


Era uma vez, um menino que sonhava ser capitão. A sua brincadeira preferida era brincar com os seus barcos, inventar batalhas e descobertas, em que ele era o grande navegador que, ora vencia as lutas com os piratas, ora descobria novos lugares, com povos desconhecidos e animais estranhos totalmente diferentes dos que ele conhecia das visitas ao jardim zoológico.
Um dia, o pai chegou a casa e disse que tinha uma surpresa para ele. O que seria?! Um novo barco da Lego, talvez um puzzle, ou seria um desses novos modelos para montar? Não sabia!
– No próximo sábado, vamos fazer uma viagem – disse o pai.
Vamos fazer uma viagem de barco!
– A sério?! Disse o menino entusiasmado.
Fixe! Que bom! Mal posso esperar!
Quando chegou o grande dia, ele estava preparadíssimo: vestia umas calças de ganga, uma camisola às riscas e um boné de marinheiro, que o seu avô lhe tinha oferecido no seu aniversário.
Quando embarcaram, a mãe disse-lhe:
– Vem sentar-te aqui, ao pé de nós.
– Não! Quero ir de pé, como um verdadeiro capitão! – disse o menino.
– Olha que só as pessoas que estão habituadas a andar de barco é que conseguem ir de pé, por vezes, quem não está habituado à ondulação, pode sentir-se mal disposto – disse o pai, que já era conhecedor destas andanças.
– Não! Eu vou em pé, agarrado à amurada! – disse o menino determinado.
– Pois então, agarra-te bem! Respondeu o pai com um sorriso divertido.
Ao fim de algum tempo, quando o barco já ia em mar alto, o menino começou a sentir uma estranha sensação na barriga, as pernas começaram a fraquejar e começou a sentir-se tonto.
– Pai! Chamou ele, não me sinto bem.
– Então anda sentar-te aqui ao nosso lado, fecha os olhos e respira fundo – disse o pai.
O menino assim fez; mas não se sentia muito melhor, quando por fim, a viagem terminou.
Depois de saírem do barco e ao fim de algum tempo a pensar, o menino disse aos pais:
– Sabem, afinal acho que já não quero ser capitão… prefiro outra profissão onde não tenha tanto balançar.
Entretanto, olha para o céu, onde passa nesse momento um avião.
– Já sei! Disse ele, muito depressa. Quero ser piloto de avião!!!
avião